sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

AS DEZ REGRAS (THE TEN RULES)



O mundo GLS é mesmo pequeno e isto fica muito claro neste curta escrito, produzido e protagonizado por Michelle Paradise.
O curta retrata a vivência lésbica em um pequeno ciclo social, onde Jen (Michelle Paradise) possui grandes amigas e detém “as dez regras para sobrevivência no mundo lésbico”. Porém falta o mais importante, o que Jen persegue por anos, a chance de reencontrar o amor em sua vida. O curta se passa em uma festa, onde ela expõe as dez regras lésbicas enquanto as ilustra com a vida sentimental das participantes.

Filme Bem divertido e simples.

BAIXAR PELO MEGA

Regra 1: Nem todas as lésbicas se parecem. Not all Lesbians Look alike.

Se você crê que todo tipo de lésbica segue um padrão estético identificável, mude suas concepções. Há lésbicas para todos os gostos, de todas as tribos, com todas as formas e idades. Um gaydar só estará apurado se for além do senso estético e puder captar a essência feminina de cada uma. Reconhecidas as devidas diferenças, não queira transformar-se num clone de ninguém. O que nos leva à segunda regra…

Regra 2: Casais lésbicos de muitos anos podem se parecer

É, depois de muitos anos, mesmo lutando contra, você vai acabar absorvendo coisas boas – e ruins – da sua namorada.

Regra 3: Amigas: possibilidades de encontros

É triste, mas verdade. Dadas as limitações do mundo lésbico, precisamos admitir que nossas amigas figuram nas possibilidades de futuros encontros amorosos. A origem do “rebuceteio” estaria na nossa própria incapacidade de excluí-las do círculo amoroso? Quem sabe? Fato é que deve-se sempre ter em mente que a amiga de hoje pode ser a namorada de amanhã. Logo, não brigue.


Regra 4: O ano lésbico equivale ao ano do cachorro. Ou seja, 1 mês = 7 meses lésbicos.
Piadinha da semana:
Pergunta: “O que uma lésbica leva num segundo encontro?
Reposta: “O caminhão de mudança”
Calma, não é bem assim! O problema é que os anos lésbicos funcionam de maneira diferente. Logo, se você namorar uma garota há 5 meses, terá na verdade 2 anos e 11 meses! Já estará mais do que na hora de casar.


Regra 5: Um relacionamento só termina de verdade após o quarto “casinho” ou após seis meses de separação.

Vejam só! A regra preferida – e mais ignorada! Isso é fato. Afinal, um relacionamento de 3 anos(21 anos lésbicos!) por exemplo, não termina assim, de uma hora pra outra. Por mais que não haja mais amor ainda fica a bendita saudades.


Regra 6: Escolha um apelido ou alguém vai escolher um para você!
Você pode se safar de alguns apelidos “carinhosos” se tiver criatividade.
- verde, doente , veia (inventa doenças para não ir à balada)
- ferrolho (a vida toda no mesmo buraco – este é o mais digno)

Isso é vdd. A Modesa é a pessoa mais criativa em termos de apelidos que conheço. É um tal de “caxolinha preta” pra cá, “amorzinho negro” acolá. Aliás apelido é o nosso “forte” né pessoal…sai cada coisa hehehe


Regra 7: Ex namoradas nunca vão embora, elas se tornam melhores amigas.
Das suas 10 melhores amigas, ao menos 6 serão ex namoradas ou ex casos. A mesma porcentagem é valida para as 10 maiores inimigas.
Para toda regra há uma exceção, certo?


Regra 8: Toda lésbica é dramática por essência
Se você achou um dia que a única vantagem de namorar um homem seria a virilidade na hora de matar uma barata ou trocar um pneu de carro, você estava enganada! Nada mais complicado do que ter que lidar com duas TPMs por mês (a sua e a alheia).

Entretanto, há males que vêm para bem. Mesmo com o pequeno contraponto de ter brigas exponencialmente maiores do que deveriam ser, você sempre terá companhia para assistir àquela comédia romântica, sem zombar porque você chora do começo ao fim do filme.
Lembre-se: os pequenos atropelos do seu namoro tomarão proporções homéricas e serão lembrados eternamente. Esteja preparada para os dramas lésbicos desde já.


Regra 9: Uma lésbica está separada de outra em apenas um grau!
É a boa e velha teoria do “rebuceteio”. Se você nunca pegou aquela bolacha, já pegou alguém que ela pegou com toda a certeza. Caso contrário, nem tente ficar: a ligação vai ser interurbana – vocês não moram na mesma cidade.
*Nós conhecemos bem esta regra, não é? ^^


Regra 10: Grab the Bull by the horns – agarre o touro pelos chifres.

Se você espera que ela te convide para sair, lembre-se de que vocês são duas mulheres. Há sempre a chance de ela querer, mas ainda estar inebriada pelo posicionamento passivo dado à mulher na sociedade convencional. Você precisa agarrar o touro pelos chifres (juntar coragem) e fazer o convite pessoalmente. Aprenda a ter atitude, ou você morrerá de fome, literal e metaforicamente!


Fontes: Parada Lésbica

2 comentários:

Todos tem direito a uma opinião mas lembre-se...
O direito de um termina onde
começa o direito do outro!