quarta-feira, 1 de abril de 2015

A HOMOFOBIA É... "50 V0ZES CONTRA A HOMOFOBIA" - CAMPANHA CONTRA HOMOFOBIA "INFORMAÇÃO"

     

FAMILIA GAY DREAM RESOLVI FAZER ESTE POST PORQUE A PREFEITURA DE SÃO PAULO E O SITE iGAy;
LANÇARAM A CAMPANHA A HOMOFOBIA É............ 50 VOZES CONTRA HOMOFOBIA.
ONDE ARTISTAS POSAM PRA FOTOS DA CAMPANHA CONTRA HOMOFOBIA E ESCREVEM O QUE ACHAM E ACHEI UMA INICIATIVA LINDA QUE DEVERIA SE ESTENDER PELO PAÍS INTEIRO, LA NO SITE VOCÊ PODE COLOCAR SUA FOTO TAMBÉM E DIZER O QUE ACHA OU CURTIR JUNTE-SE COMPARTILHE VOU POSTAR O VIDEO E LINK PRA BAIXAR JUNTAMENTE COM O TEXTO.
TODOS DEVEMOS FAZER NOSSA PARTE PRA MIM A HOMOFOBIA É INACEITÁVEL!!!!!!!!!!!!!
ABAIXO O PRECONCEITO.
A EXPOSIÇÃO DA FOTOS ESTA NA PREFEITURA DE SÃO PAULO,EM SEU SAGUÃO PRINCIPAL.ESTOU COLOCANDO ALGUMAS DAS 50 FOTOS PRA VOCÊS BEIJOSSS.




VÍDEO

Prefeitura recebe exposição "50 Vozes Contra a Homofobia".
Com o intuito de desmoralizar a homofobia, mostra reúne 50 retratos com personalidades. População também pode participar da campanha.
A partir da noite desta terça-feira (31), a Prefeitura de São Paulo recebe em seu saguão principal a exposição gratuita "A Homofobia é... 50 vozes contra a homofobia". A iniciativa, promovida pelo site iGay, tem como objetivo desmoralizar a homofobia por meio retratos com 50 personalidades. O prefeito Fernando Haddad, o jornalista Marcelo Tas, a atriz Vera Holtz e a apresentadora Adriane Galisteu estiveram presentes na abertura.
“Eu escolhi a palavra obscurantismo porque eu considero a homofobia uma coisa meio sombria, que tem que ser afastada do nosso convívio em proveito de uma cidade mais aberta, mais generosa em que conviva a paz com a diferença. É o que todos nós queremos”, afirmou o prefeito sobre o seu retrato na exposição. “Ninguém pode ser discriminado por razões de raça, gênero, cor ou orientação sexual no Brasil”, continuou.
As fotos das 50 personalidades convidadas ficarão disponíveis na prefeitura até dia 9 de abril. “Esta é uma exposição extraordinária e uma das mais importantes, pois todos os artistas expressaram o quão absurdo é qualquer atitude homofóbica”, afirmou o secretário municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Eduardo Suplicy.
No dia 10 de abril, a exposição será transportada para o Conjunto Nacional, na Avenida Paulista, onde fica aberta para visitação até dia 27 de abril. “Eu estava olhando as palavras que as pessoas escolheram e quase todas tem a ver com a falta de educação e com o desconhecimento. A palavra que eu escolhi foi a ignorância, porque eu creio que a ignorância é a faísca da violência”, disse o jornalista Marcelo Taz.
Para marcar o lançamento da campanha online, no dia 11 de abril as imagens serão exibidas em projeção na Red Bull Station. A editora executiva do IGay, órgão responsável pela mostra, Ana Ribeiro, falou sobre a importância da campanha: “Essa exposição serve para desmoralizar o consenso de homofobia. É uma campanha que começa aqui, não só com os cinquenta fotografados, mas todos os que vão vir.”

   

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, atua fortemente na criação de políticas públicas para a comunidade LGBT. Na última sexta-feira (27), foi inaugurado no Arouche, região central, o Centro de Cidadania LGBT, que tem como intuito reestruturar e expandir a rede de proteção social à população. 
O programa Transcidadania, lançado em janeiro deste ano, também tem como objetivo promover os direitos humanos e oferecer condições de recuperação e oportunidades de vida inicialmente a 100 travestis e transexuais em situação de vulnerabilidade social. O programa oferece uma bolsa de R$ 840, condicionada a ações de elevação da escolaridade e qualificação profissional, em atividades de 30 horas semanais durante dois anos, com módulos semestrais.
“Nós lutamos muito e as pessoas não nos ouvem. Vamos ver se com esta campanha, com tantas pessoas da mídia falando que a homofobia é crime, é desamor, que é tudo de ruim, vamos ver se as autoridades ouvem e criminaliza a homofobia. É isso que a gente espera desta campanha”, disse a drag queen Sissi Girl.


#ahomofobiaé
A população toda pode participar da ação antihomofobia. Basta escolher uma palavra ou a ideia que melhor complete a frase "A Homofobia é...". Depois, basta publicar uma foto sua com a palavra nas redes sociais, utilizando a hashtag #ahomofobiaé
“Nós estamos na luta, sempre avançando passo por passo, lutando contra pessoas tão importantes que faz tudo retroceder. Tendo tantas personalidades da mídia com tanta pessoa importante ao nosso lado me faz acreditar que é possível conquistar mais e mais direitos, como almejamos”, disse a drag queen Dintry Buck.
As imagens serão publicadas pelo site iGay.
Serviço:

Prefeitura de São Paulo
Endereço: Viaduto do Chá, 15.
Data: De 30 de março a 9 de abril

Red Bull Station
Endereço: Praça da Bandeira, 137 - Bela Vista.
Data: Dia 11 de abril, das 14 horas às 19 horas

Conjunto Nacional
Endereço: Av. Paulista, 2073 - Térreo
Data: De 10 de abril a 27 de abril

Leia Mais:
Prefeitura inaugura Centro de Cidadania LGBT, no centro da capital
Programa Transcidadania oferece oportunidades a 100 travestis e transexuais
Prefeitura cria Núcleo de Gênero e Sexualidade na rede de ensino.

5 comentários:

  1. HOMOFOBIA TAMBÉM É O MEDO DE SE ASSUMIR GAY.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pessoa que tem medo de se assumir gay tem uma tendência muito grande de se tornar homofóbica.

      Excluir
  2. HOMOFOBIA É FALTA DE AMOR PRÓPRIO, IGNORÂNCIA E FALTA DE DEUS NO CORAÇÃO .

    ResponderExcluir
  3. Oi Danny, interessante e importante post. Espero que um dia toda forma de preconceito desapareça e que todos possam viver felizes com suas escolhas.
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Amei seu post, Danny!!!!

    É preciso que todos reconheçam a importância de respeitar os outros. Mas acredito que esse respeito passa pela questão de aceitação. De modo geral, as pessoas tendem a não aceitar as outras, preocupando-se somente consigo mesmas. É o culto a individualidade. Logo, só aceito o que é aparentemente igual a mim, o diferente não é aceitável.
    Entretanto, é imprescindível reconhecermos que somos diferentes independentemente de uma ou outra qualidade análoga.
    Somos o que somos, somos aquilo que nos define e merecemos ser reconhecidos, respeitados e aceitos por aquilo que somos.

    E concordo com você, é uma bela iniciativa; mas ao mesmo tempo é triste, porque nos faz refletirmos, reconhecermos e admitirmos o fato de que nosso mundo é extremamente violento e intolerante.

    Aproveito para desejar-lhe uma Feliz Páscoa. Bjos. Sunny.

    ResponderExcluir

Todos tem direito a uma opinião mas lembre-se...
O direito de um termina onde
começa o direito do outro!