terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Ed Wood (1994)

 

Ed Wood é um filme estadunidense de 1994, dos gêneros comédia dramática biográfica, dirigido por Tim Burton, sobre Edward Davis Wood Jr., considerado o pior diretor de todos os tempos. O roteiro é baseado no livro Nightmare of Ecstasy, de Rudolph Grey. O filme foi rodado em preto-e-branco.


Edward D. Wood Jr. é um diretor e roteirista de Hollywood, cheio de ideias que poucas ou nenhumas vezes podem ser concretizadas. A sua fraca reputação fica ainda mais toldada quando, em 1953, consegue completar “Glen ou Glenda”, um filme onde assume publicamente gostar de vestir roupas femininas, para desespero da esposa Dolores Fuller. Ao conhecer e tornar-se amigo do decadente Bela Lugosi, distante dos seus dias de glória, Ed Wood vai ganhar força para mais uma série de filmes de qualidade duvidosa e produção apressada que incluam a velha lenda, e envolvendo gente tão incaracterística como o lutador Tor Johnson, o vidente Criswell, e a apresentadora de TV Vampira.






Título Original: Ed Wood

Título no Brasil: Ed Wood
Direção: Tim Burton
Gênero: Comédia Dramática
Ano de Lançamento: 1994
Duração: 127 min
País: EUA

Curiosidades

- O orçamento do filme foi de cerca de US$18 milhões, sendo considerado baixo, mas superior ao custo de todos os filmes de Ed Wood juntos.

- O filme foi um fracasso em relação a sua bilheteria, tendo conseguido obter apenas cerca US$6 milhões. No entanto, o filme foi um sucesso de crítica, conseguindo 92% de aprovação no site Rotten Tomatoes.

- O início do filme apresenta uma casa abandonada, que possui sobre uma mesa um esquife. Dentro do esquife está Criswell (Jeffrey Jones), que abre o caixão e realiza um discurso, que serve de prólogo para o início do filme. É uma referência às participações iniciais de Criswell nos filmes Plano 9 do Espaço Sideral e Noite das Assombrações, também realizava um discurso de prefácio para estes filmes.

- O discurso pronunciado por Criswell: "Saudações meus amigos, você está interessado no desconhecido, no misterioso, no inexplicável, por isso você está aqui. E agora, pela primeira vez trazemos a história completa de todos acontecimentos. Trazemos evidências baseados apenas em testemunhas secretas de almas miseráveis que sobreviveram a esta aterrorizante provação. Os incidentes, locais... meu amigo, não podemos mais manter este segredo. Será que seu coração aguenta os fatos chocantes da verdadeira história de Edward D. Wood Jr.?"

- Outra referência honrosa pode ser vista nos créditos iniciais, com o nome do elenco aparecendo cravado em lápides e de discos voadores (fazendo menção a Plano 9 do Espaço Sideral, maior anti-sucesso de Ed Wood) e também as imagens de um polvo gigante submerso em um rio.

- Tim Burton alega que decidiu realizar este filme devido ao fato de que a amizade e proximidade de Ed Wood e Béla Lugosi o fazia lembrar de sua relação com Vincent Price (ator consagrado dos filmes de terror).

- A ideia da película ser filmada em preto e branco possuía dois motivos: tanto pelo fato de fazer menção a época em que o enredo se passava (ou seja, a década de 1950) quanto para o filme ficar similar às produções cinematográficas de Ed Wood, filmadas em preto e branco.

- Dentre os atores desajustados que trabalharam com Ed Wood, vale destacar Tor Johnson e Maila Nurmi. Tor Johnson foi um lutador encontrado por Wood que recebeu um convite para participar dos filmes do diretor e que com isso se tornou uma máscara popular nas festas de Halloween, e Maila Nurmi era mais conhecida como Vampira, por fazer uma série que mostrava filmes de terror, porém esta participação na TV teve duração de apenas um ano. Ed Wood vinha escrevendo papéis para ela a tempos, porém só participou de um, sendo que neste papel sua personagem não teve falas.

- Ed Wood ouvira falar de Maila Nurmi ao assistir ao show de Vampira, na casa de Béla Lugosi. Eles estavam assistindo a uma breve reprise de um dos filmes em que Lugosi interpretou Drácula. Wood não gosta quando Vampira interrompe o filme para detalhá-lo, mas Lugosi demonstra estar atraído fisicamente por Maila.

- Pai e filha trabalham juntos no mesmo: Martin Landau interpretou Béla Lugosi. Já sua filha Juliet Landau interpretou Loretta King, atriz e protagonista de A Noiva do Monstro, que também colaborou com o financiamento do filme. Juliet ficou famosa por interpretar a vampira Drusilla em Buffy, a Caça-Vampiros.

- Em vários momentos, a decadência de Béla Lugosi é demonstrada de forma dramática. Muitas cenas e diálogos demonstram como Lugosi acabou entrando em estado de ostracismo, depressão e vício em drogas. São constantes as cenas de quando é comparado a Boris Karloff (famoso por interpretar Frankenstein), seu desafeto, ou quando ingere remédios ou álcool. Martin Landau conseguiu representar esse personagem dramático de forma magistral e comovente, sendo que não apenas foi indicado ao Oscar de melhor ator coadjuvante em 1995, como recebeu o prêmio.

- Um fato curioso: Martin Landau conseguiu faturar o Oscar de 1995, na categoria de melhor ator coadjuvante, interpretando o também ator Bela Lugosi. Bela, no entanto, nunca sequer concorreu ao Oscar em sua vida, nem mesmo no auge de sua carreira, na década de 1930 e na metade da década de 1940.

- Bunny Breckinridge (Bill Murray) era um homossexual assumido e grande amigo de Ed Wood. Foi responsável por convocar travestis para integrar o elenco de Glen ou Glenda. Seu grande sonho era fazer uma cirurgia de mudança de sexo. No entanto, realizou uma operação mal-sucedida.

- O operador de câmera Bill (Norman Alden) era daltônico. Esse detalhe fica evidente quando Ed Wood pede que Bill ajude Loretta a escolher entre dois vestidos de cores diferentes e ele não consegue identificar a cor de nenhum deles.

- O ator Vincent D'Onofrio apareceu em uma ponta de cerca de um minuto interpretando o renomado ator e cineasta Orson Welles. No entanto, as falas do personagem não são feitas por D'Onofrio, mas pelo dublador Maurice LaMarche (que não foi creditado).



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos tem direito a uma opinião mas lembre-se...
O direito de um termina onde
começa o direito do outro!