domingo, 1 de outubro de 2017

Onde Os Outros Não Existem (2017)

Dedicado a todos os aniversariantes de Outubro



Como seria um mundo tolerante, sem preconceitos e que as pessoas pudessem se amar independente de cor, raça ou gênero? Assim é o mundo idealizado pelos jovens Caio e Rodrigo, que descobrem na amizade um puro e verdadeiro amor, e também Renato e Brenda, que têm de lutar contra diversas barreiras para serem felizes juntos. O que estas histórias têm em comum? O preconceito, principal tema do filme paranaense Onde Os Outros Não Existem, que retrata duas faces deste mal do século, o preconceito racial e a homofobia. 

O filme é do Teatrando na Escola. O texto e direção são do jornalista Raphael Pereira e idealização do professor Clau Lopes. Com esse projeto pedagógico, a intenção de Lopes é esclarecer a comunidade escolar e estimular o debate sobre questões como racismo e homofobia – tão presentes no cotidiano.

O professor ressaltou a importância de aproximar os(as) alunos(as) do Ensino Médio dos Colégios Rodolpho Zaninelli e Guilherme Maranhão com profissionais da área de audiovisual. “Isso fez do filme uma ferramenta pedagógica nas escolas”, se orgulha Lopes.


O longa foi todo gravado de forma independente, e faz parte do projeto “Teatrando Na Escola”. uma iniciativa do pedagogo Clau Lopes, que envolve alunos do ensino Fundamental e Médio, possibilitando a eles a oportunidade de conhecer o teatro e suas variadas modalidades, identificando diversos talentos na comunidade local. A iniciativa ainda traz mudanças significativas no ambiente escolar.
Os alunos do projeto também já participaram do Festival Cola Cola nas Escolas, onde ganharam o 2º Lugar nos anos de 2014 e 2015.
O Projeto já conta com dois trabalhos audiovisuais – dirigidos por Raphael Pereira e Clau – no currículo: o vídeo “Memorial 29 de Abril” e o curta-metragem “Longe Do Fim”, que fala sobre o preconceito a pessoas soropositivas.


   


Download pelo Minhateca - Parte 1









Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos tem direito a uma opinião mas lembre-se...
O direito de um termina onde
começa o direito do outro!