quarta-feira, 12 de setembro de 2018

The Handmaiden (A Criada) 2016 - Feliz Aniversário Mimi

    

A Criada tem a trama transposta para a Coreia dos anos 1930, época em que o país vivia sob ocupação japonesa. A história corre em três atos, com um peculiar cenário principal se destacando: o imponente palacete que conjuga o estilo arquitetônico das grandes propriedades campestres britânicas, também traz espaços característicos das residências nipônicas tradicionais – usos e costumes dos personagens também combinam as duas culturas, provocando um inventivo embaralhamento sensorial na cenografia e nos figurinos.

No primeiro movimento do filme, acompanhamos uma ardilosa armação que coloca a jovem Sook-hee (Kim Tae-ri) para trabalhar como criada na mansão, onde a rica herdeira japonesa Hideko (Kim Min-hee) vive com seu tio Kouzuki (Cho Jin-woong). Sook-hee vem de uma família de vigaristas e quem a escalou como cúmplice foi o galante pilantra Fujiwara (Ha Jung-woo), que se passa por conde para desposar Hideko. O plano é, após o casamento, internar a emocionalmente frágil herdeira em um manicômio e se apossar de sua fortuna.


Após dar a primeira sacudida no espectador, Chan-wook, no segundo ato, lembra o passado de Hideko e seu grosseiro e pervertido tio, sujeito fascinado por pornografia que promove saraus literários para os ricos e poderoso locais, aos quais vende publicações falsificadas como se fossem raridades. O falido Kouzuki também planeja se casar com a sobrinha para manter sua posição social – é um coreano que finge ser japonês, assim como Fujiwara. No terço final da narrativa, após uma sucessão de reviravoltas, tem destaque um violento acerto de contas, registro no qual Chan-wook é mestre, vide sua aclamada Trilogia da Vingança formada por Mr. Vingança (2002), Oldboy (2003) e Lady Vingança (2005).

A Criada tem seu motor dramático no relacionamento entre Sook-hee e Hideko, tão intenso quanto enigmático, uma vez que a paixão e a relação de poder e submissão que se estabelece entre as duas mulheres transcorre de forma dissimulada. Chan-wook, porém, aguça os sentidos dos espectador ao longo de duas horas e meia com o progressivo suspense na construção de seu mosaico sobre quem está enganando quem. Apenas quando a última peça for colocada se terá a real dimensão do grandioso filme que é A Criada.



    


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Todos tem direito a uma opinião mas lembre-se...
O direito de um termina onde
começa o direito do outro!